O melhor remédio para manter a saúde é usar a prevenção

Ao transitarmos pelas estradas tortuosas deste mundo globalizado, percebemos que estar vivo é uma benção divina. Em momento algum estivemos atentos para os inúmeros fatores que interferem de forma marcante no período de nossa existência.


Em todo o mundo somente uma pessoa a cada 10.000 atinge 100 anos de idade, quando a sobrevida prevista pela genética é a de 120 anos. Até nos países denominados mais ricos, a média da despedida natural está ocorrendo em torno de 86-92 anos. Como todas as pessoas, sem exceção, querem viver o máximo e bem; oitenta anos de vida, que pode parecer para muitos um exagero, representa apenas 2/3 da existência humana, prevista pela genética. As pesquisas por mim realizadas concluíram que a partida está ocorrendo muito cedo e para aqueles que atingem, por exemplo, em torno dos quarenta ou cinquenta anos, reclamando em consultório, é preciso lembrar que resta muito tempo para viver em busca da saúde e propiciar a finitude saudável.


Dessa forma, quem deseja no momento derradeiro, atingir com finitude saudável, disposição, ativo, produtivo e feliz, precisa repensar em seu atual modelo de vida. No mundo globalizado, à medida que aumenta o deslocamento das mulheres para os negócios, indústria e outras atividades, as doenças decorrentes da interação com o novo meio ambiente assumem importância crescente no contexto social e econômico, atingindo em determinadas atividades profissionais magnitude alarmante. É essencial continuar cuidando da aparência, usar recursos cosméticos, mas a mulher moderna não pode deixar de aprender e acompanhar como anda o funcionamento em seu interior, seus órgãos e sistemas; é o equilíbrio entre mente, corpo e meio ambiente, que representa o tripé de sustentação de uma vida saudável. Na atual conjuntura a manutenção da saúde das mulheres ao longo do Período do Climatério (40-65 anos) reveste-se de importância, ainda mais na atualidade que a mulher assumiu de forma consciente, definitiva e irrevogável, as novas responsabilidades referentes aos cargos, funções, direções e atribuições afeitas às diferentes atividades. Por essa razão, a mulher deve estabelecer a sua estratégia de atendimento médico com planejamento padronizado e personalizando, de acordo com as suas necessidades, as medicações que fará uso. A finalidade de realizar a triagem das doenças crônicas não transmissíveis (DCÑT) que tem início no Período do Climatério e que se manifestam acima dos 60 anos, com elevada mortalidade. O IBGE, em 2016, publicou que 72% das brasileiras são acometidas por quatro sistemas e que, na atualidade a Inteligência Artificial-4G, disponível no Brasil, em Ribeirão Preto, desde 1996, com rapidez, eficiência e SEM emissão de radiação, rastreia os mais susceptíveis às DCÑT.


As pesquisas realizadas na Academia (1979) e na Climatérium®Ltda (1989), comprovam que não viemos ao mundo para morrer de DCÑT. Com a inovadora visão, em uso em Ribeirão Preto, desde 1996, atingimos o objetivo em separar as atuações médicas que apresentam adequada relação custo/benefício, daquelas desnecessárias, ineficientes e contraproducentes. Ao adquirir os conhecimentos básicos fundamentais ao bem viver e disponibilizados no Atendimento Multidisciplinar no Período do Climatério, propiciamos às mulheres longevidade finita, com baixo custo e eliminado as 72% das doenças crônicas não transmissíveis (DCÑT).


O saneamento à população, como o suprimento de água potável sem o excesso de flúor; abolir o uso de produtos farmacêuticos que não contribuem para a qualidade óssea, o tratamento de todos os detritos (ar, terra e mar) somadas as campanhas de imunizações e as impreteríveis substituições hormonais, com doses controladas, se constituem em apropriados investimentos públicos, para todos as mulheres cidadãs. Em muitas regiões do nosso país os três primeiros deixam a desejar, mas as práticas no passado restritas as crianças, adolescentes e adultos jovens, devido ao aumento da esperança de vida, representam um importante fator redutor do índice de mortalidade cardiopulmonar, ósseo, endocrinológico e psíquico na senilidade.


Por ter a felicidade de ler e escutar as poesias de Vevinha que com os seus 92 anos, com tamanha eloquência, reviveu o grande amor da vida, só me resta desejar o mesmo para todas as mulheres que efetuam as suas rotinas preventivas, utilizando para tanto a Inteligência Artificial-4G, na Climatérium®Ltda, disponibilizada desde 1989. Essa é a razão de, como professor, médico atuante e por ter criado o Pioneiro Serviço Multidisciplinar de Climatério no mundo, na FMRPUSP (1979), sempre sugerir para as pacientes determinarem para o resto de suas vidas, o que deve ser proibido: Não aceite atitudes que alimentam a preguiça; reduza os horários para assistir televisão; oriente os cuidados com os detritos do meio ambiente; reclamem e denunciem a contaminação da água do planeta; efetuem as imunizações; jamais abdicar das rotinas multidisciplinares preventivas básicas; não preencha o restante de tempo de vida, com informações da vida alheia; torne os seus decênios restantes, saudáveis, ativos ou seja, produtivos. Cuidar da saúde agregando a visão preventiva deve iniciar-se a partir dos 6 anos de idade. O nosso exemplo de viver é o que podemos deixar é o maior legado e a melhor estratégia de vida.


Saibam que escutei os reclamos da minha estimada paciente, a Sra. Vevinha e na prática diária aplicando desde 1979; confirmei que se trata de uma verdade científica focada em SAÚDE PREVENTIVA DA SENILIDADE FEMININA. Finalizo relatando o meu aforismo: Não viemos ao Mundo para morrer de Doenças Crônicas (Iannetta,1996; Femina,2006).

5 visualizações0 comentário