Evitar as ondas de calor, três anos após sua remissão?

Coordenando o Primeiro Serviço Multidisciplinar de Climatério-SUS no mundo, na FMRP-USP, em Ribeirão Preto – SP, acompanhei vários casos que relatavam a mesma queixa. Todas possuíam em comum o fato de terem iniciado as reposições após vários anos da data da menopausa. Essa razão motivou a criação da Medicina Preventiva da Senilidade Feminina, que comprovou que os rastreamentos devem ser iniciados precedendo o período do climatério, bem antes dos 40 anos de idade. As mulheres que se encontram na fase senil, e ainda apresentam as queixas, perceberam a importância de terem aprendido as orientações básicas, para superar o último e derradeiro período da vida feminina, mas ainda passível de realizar a prevenção em todos os órgão e sistemas. O que era, à época, muito contestado, em 2016 recebeu o referendo, 37 anos após!

Vide o site do IBGE-2016 e do G1.com, onde ambos revelam que 45% dos brasileiros possuem pelo menos uma doença crônica e que 72% dos brasileiros, acima dos 60 anos, estão morrendo por doenças crônicas não transmissíveis (DCNT), devido à ausência da aplicação da medicina preventiva primária, em todas as especialidades médicas. Não adianta realizar exames denominados preventivos e não abordar o que se propõe. Portanto, ineficazes. Da mesma forma que não adianta usar medicações para eliminar os sintomas e que não combatem a causa. Nunca espere os sintomas surgirem, se agravarem, se tornarem intensos, para, só então, procurar um profissional para iniciar o tratamento. Jamais deixe a queda hormonal atingir níveis baixíssimos para iniciar a reposição a níveis normais, segundo a idade e as necessidades individuais. Após toda rotina basal completa inicie a reposição hormonal, com medicamentos semelhantes aos hormônios, produzidos pelas glândulas, que são eficazes, não geram efeitos colateral, para tanto, sempre utilizando doses personalizadas. Ministrar um determinado medicamento em doses iguais para todas as mulheres, diante do atual conhecimento científico, não faz sentido.

Necessário se faz praticar os conhecimentos da ciência médica atualizada, jamais deixando de conhecer as contraindicações individuais e familiares. Por ser a mulher um ser único, a dose a ser ministrada deve respeitar as necessidades individuais. A defesa a Saúde deve ser tratada de forma séria. O seu passado refletirá na vida de seus familiares e filhos. Não deixe as suas queixas se estruturarem. Deixe um bom legado de saúde para a sua família. As mulheres que assim procedem ganharam qualidade de vida com investimentos baixos. A Saúde possui limites, esteja sempre atenta! Ela não perdoa, nem mesmo o seu nível social econômico e cultural. Não adianta usar medicamentos para apenas abolir as queixas, entre elas, os fogachos, as ondas de calor. É fundamental que as medicações exerçam ações em todos os órgãos e sistemas, para retardar o processo de envelhecimento celular, que é inevitável. Não alimente o sofrimento. Não se engane. Não carregue e transfira a cruz de carregar doenças para os seus familiares. Na atualidade, as mulheres modernas procuram o tratamento mais cedo, antes que os distúrbios menstruais se instalem, comece a investigar entre 35 até 40 anos. Ao iniciar o rastreamento, precedendo a fase inicial do climatério, além de abolir os inúmeros e inconvenientes sintomas, coloque em ação os procedimentos que irão retardar o processo de disfunção de inúmeros órgãos e sistemas, entre eles; olhos, ouvido, pele, pelos, unhas, cabelo, dentes, psiquismo, articulações, coração, pulmão, lubrificação da vagina. Esse cuidado propicia o que é essencial: manter o bem-estar físico, psíquico e mental.


O hormônio é modulador de todos os órgãos e sistemas, nenhum consegue manter o seu metabolismo funcional, havendo alterações dos seus níveis fisiológicos. Entenda com facilidade e aprenda a viver a sua vida assumindo o seu próprio envelhecimento celular. Na atualidade, em nosso meio, de forma cientifica é possível, utilizando a inovadora tecnologia científica rastreadora que agrega a Inteligência Artificial, a mesma que rastreou o planeta Marte, e no momento em 4G, que oferece quatro diretrizes, avaliar o estado estrutural do tecido ósseo em: normal, limítrofe, inadequado ou deteriorado.


Os conhecimentos de pesquisa e práticos, agregados à inteligência dos interessados, decidirá continuar ou comutar os conhecimentos que datam de Albright, Bloomberg & Smith, 1940. Razão para eu dizer desde 1996: Viva Ribeirão Preto.

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Live - Consultório - Climatério e Menopausa

Eu participei de uma live dia 19 no canal Pai Eterno, falando um pouco sobre fases críticas na vida da mulher com alterações psicológicas e outros assuntos da saúde da mulher, veja na integra!