Dor: uma nova interpretação

Os tratados de medicina relatam que: a Medicina é a ciência das verdades transitórias. Antes de ingerir algum medicamento, passar alguma pomada ou ser submetida a alguma massagem, para pessoas entre 40 a 65 anos, a primeira conduta a ser providenciada é dosar os hormônios pétreos, que regulam as funções de todos os órgãos e sistemas do corpo humano.


Na verdade, os hormônios realizam a função de lubrificação das juntas, articulações, espaços vertebrais, ligamentos, tendões etc. Oferecem o essencial - a flexibilidade - que diferencia os jovens das pessoas com mais idade.


Nessa faixa etária, as mulheres entram no período mais importantes de “suas vidas”, denominado de o Período do Climatério, que possui duração de 25 anos (ou seja, ¼ de suas vidas). Nele, deveriam receber as orientações da visão médica preventiva, primária, que avaliam o estado funcional de todos os sistemas e estruturas e previnem 72% das mortes acima de 60 anos.


É inegável o avanço tecnológico. O exemplo mais significativo é, por exemplo, a colocação de um Stent, que de imediato, ao realizar um cateterismo, salva uma vida. Porém, realizar a prevenção aplicando os controles por meio dos exames que avaliam o estado funcional intracelular, tem sido relegado a um plano secundário.


Todos ficam com a sensação de que primeiro esperamos a enfermidade se instalar para, após isso, iniciar o tratamento. Postura antiga e ultrapassada. Da mesma forma que esperar a data da menopausa ocorrer, para somente então iniciar o tratamento. A atenção não é dirigida a mulher como um todo, com a finalidade de prevenir e reduzir 72% das mortes decorrentes das Doenças Crônicas NÃO Transmissíveis - DCNT (fato evidenciado no primeiro serviço multidisciplinar de Climatério, desde 1979, e referendado pela extensa revisão feita pelo IGBE, em 2016, 37 anos após).


O sinal precoce e comum a todas essas DCNT é o processo inflamatório, que altera vários parâmetros sinalizadores intracelulares de todos os compartimentos endócrinos, fatores de crescimento, citosinas, Inter leucinas e neurotransmissores; sinapses SNC; sistema imunitário; membranas celulares; moléculas sinalizadoras ligadas ao processo inflamatório: Óxido nítrico; acetilcolina, adrenalina, etc.; hormônios esteroides que representam os receptores intracelulares nucleares; peptídicos, substancia P; não peptídicos e as citocinas mediadoras das Inflamações (vide as curvas regressivas brasileiras publicadas no Journal PLOS ONE, 2015).


Portanto, introduzindo a vasta visão do Novo Mundo, é possível constatar que não faz sentido esperar as doenças ocorrerem, para iniciar tratamentos medicamentosos que, a despeito de serem importantes, não evitam a instalação das doenças.


É hora de aprender e colocar em prática a visão preventiva primária. Dominar o conhecimento sobre os processos inflamatórios intracelulares, na fase mais importante da vida feminina: o Período do Climatério. (Iannetta, 1979,1989,2009 e IBGE,2016).

4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Live - Consultório - Climatério e Menopausa

Eu participei de uma live dia 19 no canal Pai Eterno, falando um pouco sobre fases críticas na vida da mulher com alterações psicológicas e outros assuntos da saúde da mulher, veja na integra!